17/07/2017

Planeta dos Macacos - A Guerra (War for the Planet of the Apes - 2017/



            Este é um daqueles franchises que tem passado despercebido mas que, a cada novo lançamento, toda a gente fica entusiasmada, tanto pela incrível qualidade que tem demonstrado, tanto a nível de história, como pelos incríveis efeitos especiais. Será que esta trilogia vai conseguir fechar com chave de ouro?
            Caeser quer viver em paz com a sua população na floresta mas os humanos não os deixam em paz. Tal leva o nosso protagonista a tentar combater os seus instintos de vingança.
            Esta trilogia serviu como um verdadeiro desenvolvimento para Caeser. Logo no início do filme, temos um acontecimento que marca profundamente o protagonista e que o leva por um caminho que, até agora, era proibido. O seu comportamento com os humanos muda em relação a filmes anteriores e isso nota-se desde aquilo que diz até às suas expressões. E, para isso, temos de valorizar o trabalho de Andy Serkis e dos efeitos especiais da … . Houve uma sucessiva subida de qualidade em todos os aspetos, tanto na interpretação como no modo incrível como os macacos são apresentados. O facto de ter o protagonista a enfrentar novos desafios é sempre positivo.
            Como já é habitual nesta saga, os humanos aqui são umas bestas – aliás, só assim é que ficamos a torcer pelos símios super-inteligentes. Porém os “vilões” têm sempre motivos que facilmente podemos simpatizar (afinal de contas,  a humanidade está a ser dizimada por um vírus e tem macacos que conseguem andar a cavalo e usar metralhadora, por isso, é um pouco compreensível). O coronel interpretado por Woody Harrelson consegue andar muito bem nesta linha de crueldade e compreensão.
            É neste terceiro filme que as ligações com os filmes originais dos anos 60 são mais evidentes, e mais é melhor não dizer para evitar spoilers. Cada vez é mais fincada a troca de papéis entre as duas espécies destacadas, com os fascinantes símios a adquirirem cada vez mais caraterísticas humanas, enquanto nós nos tornamos cada vez mais animalescos.
            Mesmo com guerra no título, de guerra o filme não tem muito. Tem várias cenas de ação mas, em termos de grandeza, estão dentro do que já se viu durante esta saga. Tirando, claro, a cena do terceiro ato, que era totalmente escusada e que não acrescenta nada de interessante ao filme. É nas cenas com grande tensão e de desenvolvimento de personagens que estamos perante o grande trunfo da série.
            Num verão cheio de blockbusters, este é um dos poucos que consegue ter o maior coração.


1 comentário:

  1. Acho que este foi o filme que mais gostei da trilogia e gosto bastante dos outros dois também! Eu acho incrível a prestação do Andy Serkis e os efeitos especiais são espetaculares mesmo.

    ResponderEliminar